ABAG repudia destruição de pista em João Pessoa e lança campanha em defesa da aviação geral




A Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG) lançou hoje uma nota de repúdio ao episódio envolvendo o Aeroclube da Paraíba. A Justiça Estadual decretou a desapropriação da área em João Pessoa e deu posse imediata para a Prefeitura da capital, que imediatamente destruiu a pista de pouso e decolagem. 

“Em um país como o nosso, de dimensões continentais, em que a aviação comercial serve a pouco mais de 100 dos mais de 5 mil municípios, a aviação geral é fator de desenvolvimento econômico e uma pista de pouso e decolagem não pode ser destruída da forma como foi feito em João Pessoa”, disse , disse Francisco Lyra, presidente da ABAG

O grande temor da entidade é que em outras cidades, a exemplo do que aconteceu na Paraíba, decisões judiciais desta natureza possam provocar mais perdas para aviação no país e prejudiquem o desenvolvimento do Brasil como um todo. 

No ano passado, a ABAG lançou a campanha “Aviação Geral: vetor de desenvolvimento e inclusão social”, com o objetivo de discutir com a sociedade a relevância da aviação executiva para o desenvolvimento das mais de 3.500 cidades que possuem aeródromos, mas não são servidas pela aviação comercial atualmente. Enquanto nos últimos 30 anos a aviação comercial reduziu o número de cidades atendidas de cerca de 300 para 130, a aviação executiva hoje consegue chegar a 75% dos municípios de todo o Brasil, porque estas cidades possuem aeródromos. “Temos uma situação muito diferente dos Estados Unidos, por exemplo, onde a aviação comercial serve 10% dos cerca de 6 mil municípios”, explica Lyra. 

Mais informações podem ser obtidas em www.abag.org.br 

Comentários