Avio Reforça sua Posição no Brasil: Aquisição de Oficina de Revisão de Turbinas Aeronáuticas Militares

http://www.aviogroup.com/

Rio de Janeiro (Brasil), 12 de Abril de 2011 – Avio, um grupo internacional baseado na Itália e líder em propulsão aeroespacial, adquiriu a Focaleng, uma empresa Brasileira que opera no setor de Revisão, Reparos e Manutenção (MRO) de turbinas aeronáuticas militares anteriormente denominada Focal Aviation.

Focaleng, localizada na cidade do Rio de Janeiro, com uma receita anual de 23 milhões de Reais (10 milhões de Euros) e 80 empregados altamente especializados e capacitados, é uma empresa estratégica para o setor de defesa Brasileiro, apoiando os motores aeronáuticos utilizados pela Força Aérea Brasileira (FAB), incluindo a turbina do caça supersônico Northrop F-5E/F Tiger.

Através desta aquisição, a Avio, responsável desde 2008 pela revisão, manutenção e apoio logístico da turbina Spey MK 807 que equipa o avião Brazileiro AM-X, consolida seu importante papel como um parceiro estratégico da FAB e sua presença no Brasil, como parte do seu esforço no seu desenvolvimento estratégico internacional perseguido nos últimos anos.

A aquisição foi feita através da Avio do Brasil, subsidiária da Avio Group.

Barons Financial Services of Geneva and London, juntas com Trench, Rossi e Watanabe Advogados, associated with Baker & McKenzie Rio de Janeiro, atuaram como conselheiros da Avio.

Sobre a Avio

Avio é um grupo internacional, líder no setor aeronáutico, tendo sua sede na cidade de Turin, na Itália. Fundada em 1908, está presente em 4 continentes com escritórios comerciais e 9 plantas de produção industrial. Tem aproximadamente 5.200 funcionários, sendo 4.500 somente na Itália. Com faturamento em 2010 de 1.75 bilhões de Euros. O Grupo Avio atua nos seguintes setores de negócios:Aeronáutico; Espacial; Serviços de Manutenção, Reparo e Revisão de Motores; Motores Aero derivados para uso industrial e marítimo; Controle e Automação de Sistemas, assim como Sistemas Elétricos. Atua também no campo da Pesquisa e Desenvolvimento tecnológico através de uma rede de laboratórios espalhados por diversos “campus” universitários, com a colaboração de 24 universidades, italianas e internacionais.

Comentários