TAM amplia liderança nos mercados doméstico e internacional em abril

FOTO: ROBERTO CAIAFA

 
 


Market share da companhia sobe para 89,1% nos voos para o exterior e para 44,5% nos domésticos; demandas nacional e internacional cresceram 38,5% e 36,1%, respectivamente
 
 
 
São Paulo, 19 de maio de 2011 

A TAM Linhas Aéreas registrou crescimento de 38,5% na demanda de passageiros transportados (RPK) em seus voos domésticos em abril, na comparação com o mesmo período de 2010, e, com isso, ampliou sua liderança no mercado brasileiro de aviação, com participação de 44,5%, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (19) pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). A companhia ampliou também a liderança no segmento de linhas para o exterior operadas por empresas aéreas brasileiras, com market share de 89,1%. 
  
No mercado doméstico, incluindo os dados da Pantanal, a TAM aumentou sua oferta (ASK) em 18,6%, em relação a abril de 2010. A taxa de ocupação (load factor) foi de 73,2% no mês passado e aumentou 10,6 pontos percentuais na comparação anual. Em parte, contribuíram para esse crescimento três recordes consecutivos de passageiros transportados em um único dia. No dia 15 do mês passado, mais de 126 mil passageiros voaram com a companhia. No dia 20, saída dos feriados de Tiradentes e Semana Santa, cerca de 131 pessoas embarcaram em voos da TAM e, no dia 25, volta do mesmo feriado, mais de 136 mil clientes.

Apesar do forte movimento, a TAM manteve altos índices de pontualidade e regularidade em abril. De acordo com os dados da Infraero, a companhia manteve uma pontualidade de 89% e regularidade de 97,3% nos voos domésticos. Das partidas internacionais, 85,5% não registraram atraso, e apenas 0,8% foram canceladas.

O yield (preço médio pago por passageiro por quilômetro voado) no mercado doméstico permaneceu estável em relação ao mês anterior.
“O desempenho de abril demonstra o sucesso de nossa estratégia focada no equilíbrio entre o market share e a rentabilidade: a forte alta da taxa de ocupação, combinada com a estabilidade do yield, favorece nosso objetivo, que é o crescimento de nossa receita unitária (RASK) e a redução de nosso custo unitário (CASK)”, destaca Líbano Barroso, presidente da TAM Linhas Aéreas. Ele lembra os esforços de redução de custos fixos implementados pela companhia, como por exemplo, o aumento das horas/dia voadas por aeronave.

A estabilidade do preço médio pago por passageiro por quilômetro voado, combinada com o aumento da taxa de ocupação, mostra também que a TAM atinge seu objetivo de promover o transporte aéreo para  todos os perfis de passageiros e de estimular as viagens a lazer de clientes que compram suas passagens com antecedência e voam em horários fora de pico ou utilizam bilhetes-prêmio do Programa TAM Fidelidade. “Como explicitamos em nosso slogan, de que ‘A TAM é para todos’, queremos atender desde os clientes que viajam a negócios até os novos passageiros das classes emergentes com serviços de alta qualidade a preços competitivos”, ressalta Barroso.
      
Nos voos internacionais, a TAM atingiu uma taxa de ocupação de 84,2% em abril, como resultado de um aumento de 20,2% na oferta, combinado com crescimento de 36,1% na demanda. O yield internacional em dólar se manteve estável na comparação com o mês anterior.

No acumulado dos primeiros quatro meses, a TAM registrou market share de 42,5% no mercado doméstico e de 86,6% no segmento das linhas internacionais operadas por empresas aéreas brasileiras. O load factor, por sua vez, foi de 71,2% nos voos nacionais e de 80,8% nas operações para o exterior, com crescimento na demanda de, respectivamente, 20,2% e 20,7%.

Comentários