TORNEIO-ITA sedia competição universitária de aerodesign

A XII SAE BRASIL Aerodesign vai reunir cerca de 1,5 mil participantes de universidades brasileiras e estrangeiras em São José dos Campos
O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) vai sediar a  XII SAE BRASIL Aerodesign. A prova mais famosa de design aeronáutico no Brasil está marcada para os dias 20 a 23 de outubro, em São José dos Campos (SP). O ITA participa de todas as classes de aeronaves na competição. Cerca de 1.500 participantes já confirmaram presença.

A diferença das competições com as aeronaves da Aerodesign para o aeromodelo tradicional está no transporte de carga. De acordo com um dos participantes do ITA, o Aspirante a Oficial Engenheiro Ney Rafael Secco, os aviões não fazem acrobacias nem cumprem certos requisitos das competições de aeromodelismo.

“As aeronaves são levadas ao seu limite quando estão próximas da carga máxima, o que torna o voo muito mais complexo e emocionante. Qualquer erro do piloto pode comprometer a prova”, conta o Aspirante Ney.

No caso do ITA, 45 alunos dos cursos das Engenharias Aeronáutica e Mecânica participam da elaboração do protótipo para a competição deste ano. Durante a elaboração do projeto, eles aprendem técnicas de projeto de aeronaves, abrangendo disciplinas como aerodinâmica, estruturas, propulsão e mecânica de voo.

A equipe do ITA espera repetir o bom resultado do ano passado, quando levou o primeiro lugar na classe Open. Este ano, na Aero Design East, nos Estados Unidos, a instituição ficou com o quarto lugar na colocação geral da classe aberta, entre 67 equipes de universidades de todo o mundo.

“Nós buscamos aplicar os conceitos das aulas do curso de Engenharia Aeronáutica e expandir os conhecimentos ao longo do desenvolvimento do projeto”, revela o Aspirante Ney.

Construção do modelo

O Aspirante Ney explica que, em uma primeira etapa, são analisados os critérios de pontuação para verificar qual a carga a ser transportada pela aeronave. Em seguida, realiza-se uma bateria de cálculos computacionais para definir as dimensões da aeronave.

"O próximo passo é a contrução de uma aeronave protótipo para validar os cálculos aerodinâmicos e de estabilidade e controle, tanto em ensaios laboratoriais (túnel de vento) quanto em vôo. Uma vez que o protótipo tenha voado, constrói-se o avião definitivo com a estrutura mais refinada. Realizam-se então ensaios em vôo e estruturais com a aeronave definitiva para gerar os dados do relatório, o qual é confeccionado na última etapa do projeto", conclui.

Sobre a SAE Brasil 

Na Competição SAE BRASIL Aerodesign, os aviões participam das classes aberta, regular ou micro. A primeira etapa é a Competição de Projeto. Uma comissão de juízes que integra o comitê técnico avalia a apresentação oral, os desenhos técnicos e o relatório do projeto e fazem perguntas a cada equipe.

O auge é a etapa de Competição de Voo, em que os aeromodelos participam de oito baterias. Os protótipos devem ser capazes de decolar e transportar cargas úteis crescentes, até o limite de cada projeto. A simulação da carga é feita com barras de chumbo.
A última edição reuniu cerca de mil estudantes de engenharia do Brasil, Estados Unidos, Venezuela e Méxco de 65 universidades.

Categorias da SAE Brasil Aerodesign 
MICRO: Aeronaves de pequeno porte, com motorização elétrica. Possuem envengadura em torno de 1 metro e transportam cargas na faixa de 2 a 3 kg. É a classe mais nova (iniciou em 2009).

REGULAR: Aeronaves de médio porte. O motor a combustão da aeronave é comercial e deve ser o mesmo para todas as equipes (O.S. 61 FX). Existem restrições de tamanho da aeronave. É a classe mais competitiva. As aeronaves têm envergadura de aproximadamente 2 metros e transportam cerca de 16 kg.

ABERTA: Aeronaves de grande porte. A única restrição está na cilindrada total da configuração. São as aeronaves mais complexas da competição. Atingem até 4 metros de envergadura e transportam até 35 kg.