TAM registra demanda aquecida por voos internacionais em março

 

 

 
 

Empresa registrou taxa de ocupação de 79,5% nas rotas para o exterior e manteve liderança tanto no mercado doméstico quanto no internacional
 
 
São Paulo, 20 de abril de 2012 – O movimento das rotas internacionais da TAM continuou intenso em março, quando a companhia registrou aumento de 0,9% na demanda, com crescimento de 1,9% na oferta, na comparação com o mesmo mês do ano passado, resultando em uma taxa de ocupação de 79,5%. Entre as companhias aéreas brasileiras que operam voos para o exterior, a TAM obteve market share de 90,3% em março, mantendo a liderança no segmento. Os dados foram divulgados hoje pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

No acumulado de janeiro a março de 2012, a demanda da TAM cresceu 6,4%, enquanto a elevação da oferta foi de 2,8%, resultando em uma taxa de ocupação de 82,5%, um aumento de 2,8 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior. A demanda para o exterior continua aquecida e a companhia mantém os planos de ampliar a oferta de assentos nas rotas existentes entre 1% e 3% neste ano.
 
Mercado doméstico
 
No mercado doméstico, em março, a TAM registrou redução na demanda de 7,7%, combinada com um aumento de 0,9% na oferta, em relação ao mesmo mês do ano passado, o que levou a uma redução na taxa de ocupação, atingindo 62,8%. A companhia manteve a liderança no mercado doméstico no mês passado, com market share de 38,3%.

A comparação com o mesmo mês do ano anterior reflete a mudança de mix de passageiro em função do carnaval, que neste ano aconteceu em fevereiro – em 2011 foi em março –resultando em aumento de yield e redução na taxa de ocupação.

No acumulado de janeiro a março de 2012, na comparação com o mesmo período de 2011, a demanda por voos domésticos da TAM cresceu 1,1%, enquanto a oferta aumentou 4,5%, resultando em uma redução na taxa de ocupação de 2,3 pontos percentuais, atingindo 68,2%. 

Com o objetivo de assegurar a rentabilidade das operações, a TAM revisou suas estimativas de oferta e demanda para o mercado doméstico em 2012. A capacidade dos voos neste ano em comparação com 2011 deve continuar estável ou ser reduzida em até 2%, enquanto a demanda deve crescer entre 7% e 9%.

Comentários