TAM amplia segurança para atender aumento de tráfego em seu website


Selo da REDE SEGURA TECNOLOGIA atesta que aplicações web da companhia estão protegidas de vulnerabilidades provocadas
por ataques de hackers ilgeais e crackers




São Paulo, 28 de agosto de 2012
 – A TAM Linhas Aéreas acaba de obter o selo Website Protegido, da REDE SEGURA TECNOLOGIA, empresa especializada em segurança de aplicações web. A certificação é resultado do esforço da companhia para adotar as melhores práticas de segurança em seus canais de venda online. Exibido no canto inferior direito da home page da TAM (www.tam.com.br), o selo atesta  que o site está mais protegido de vulnerabilidades provocadas por ataques de agentes maliciosos (hackers ilegais e crackers).

A busca pela solução em segurança foi motivada pelo aumento de tráfego no website da companhia. Em julho, no comparativo com o mesmo mês em 2011, foi registrado um crescimento de 45% na audiência. Neste ano, o site também já bateu os seus recordes mensais de visitas (em junho) e de transações (em abril).

“É importante garantir e transmitir esta segurança ao cliente. O nosso site é responsável por uma parcela representativa das vendas e já se consolidou como um dos principais portais de e-commerce do Brasil. Hoje, ele está ainda mais preparado para atender qualquer aumento de tráfego”, afirma Rodrigo Trevizan, diretor de Vendas Diretas da TAM.

Os primeiros resultados da iniciativa já são percebidos. Após cinco dias de exibição do selo Website Protegido, a taxa de abandono do site diminuiu.  Ao mesmo tempo, houve um considerável incremento do número de visitantes que continuaram navegando pelas páginas do site e, eventualmente, adquiriram a sua passagem. Vale lembrar, o selo só é exibido quando nenhuma vulnerabilidade de alto e médio risco é identificada.

O projeto da companhia aérea com a REDE SEGURA TECNOLOGIA teve início há seis meses, quando se implantou o Sistema RedeSegura (uma espécie de auditoria nas aplicações web do portal da TAM) para identificar os ajustes a serem feitos.

Até hoje, o sistema realiza testes diários de avaliação de segurança dos aplicativos do site, além de testes de varredura (Black Box Scanning) que simulam ataques externos para identificar vulnerabilidades. Para reforçar estas avaliações, uma base de dados fornece até 39 mil assinaturas de ataques já praticados por agentes maliciosos.

“O Sistema RedeSegura, que alia a tecnologia N-Stalker a serviços de especialistas em segurança, realiza varreduras para testar o ambiente das aplicações web, desde as entregas do desenvolvimento até o monitoramento do risco de ataques durante seu uso, indicando melhorias”, explica Thiago Zaninotti, CTO da REDE SEGURA TECNOLOGIA.

A partir dos ajustes sugeridos pelo Sistema RedeSegura, a TAM tem encaminhado para os desenvolvedores de seu site as orientações de como proceder para evitar determinadas vulnerabilidades. Além disso, todos os novos serviços ou aplicativos do portal passam por validação antes de serem lançados.

“Nosso desafio é conciliar estes ajustes com outros processos para não causar interferência nas diversas atividades do portal”, lembra Marcos Roberto Teixeira, diretor de Tecnologia da Informação da TAM Linhas Aéreas. “Sem dúvida, estas ações de melhoria contínua permitem que nos antecipemos aos riscos em nosso ambiente online”.

Comentários