Atlético é Campeão da Copa Libertadores da América de 2013

Atlético é Campeão da Copa Libertadores da América de 2013

O Atlético realizou o sonho da Massa e conquistou, de forma heroica, a Taça Libertadores da América de 2013, na noite desta quarta-feira (24/07/2013), no Mineirão, em Belo Horizonte.
O título veio com vitórias por 2 a 0 no tempo normal, gols de Jô e Leonardo Silva, e 4 a 3 na decisão por pênaltis, gols de Alecsandro, Guilherme, Jô e Leonardo Silva, depois de empate sem gols na prorrogação.
Com a conquista da Libertadores, o Galo será o representante da Conmebol no Campeonato Mundial de Clubes da Fifa, que será disputado de 11 a 21 de dezembro, no Marrocos.
Dono da melhor campanha ao longo de toda a competição, o Atlético teve o ataque mais positivo da Libertadores, com 29 gols, e o artilheiro, Jô, com sete gols.
A campanha do campeão foi épica e começou com grande vitória sobre o São Paulo, no Independência, por 2 a 1. Em seguida, goleada sobre o Arsenal, com invasão da torcida atleticana em Sarandi (ARG).
Na terceira rodada da fase de grupos, vitória por 2 a 1 sobre o The Strongest, na Bolívia, mesmo placar da rodada seguinte, em Belo Horizonte.
Já na 5ª rodada, o Galo aplicou nova goleada por 5 a 2 sobre os argentinos do Arsenal, desta vez na Arena Independência.
Na 6ª rodada, já garantido como o 1º colocado geral da fase de grupos, o Atlético perdeu por 2 a 0 para o São Paulo, no Morumbi.
Veio a fase oitavas de final e o Galo eliminou o São Paulo com duas vitórias: 2 a 1 no Morumbi e 4 a 1 em Belo Horizonte.
Nas quartas de final, depois do empate por 2 a 2 com o Tijuana, no jogo de ida, no México, o Atlético empatava por 1 a 1 no Independência quando o árbitro assinalou pênalti para o Tijuana. Victor fez defesa milagrosa com os pés e acabou com o pânico que tomara conta da Massa.
Na semifinal, a derrota por 2 a 0 para o Newell’s Old Boys, em Rosário, na Argentina, foi devolvida na partida de volta, com gol de Guilherme nos minutos finais. Na decisão por pênaltis, brilharam as estrelas de Alecsandro, Guilherme, Ronaldinho e, mais uma vez, Victor.
Final
O Atlético entrou em campo no Mineirão tendo que reverter a desvantagem da derrota por 2 a 0 no jogo de ida, no Defensores del Chaco, em Assunção, no Paraguai. E, logo no primeiro ataque, Tardelli cruzou rasteiro pela direita, mas Jô e Bernard não alcançaram a bola.
Ronaldinho arriscou de longa distância para a defesa de Martín Silva. O time paraguaio respondeu na finalização de Bareiro, que exigiu boa defesa de Victor.
Aos 19 minutos, Josué recebeu bom passe de Bernard pela direita e cruzou para Ronaldinho Gaúcho cabecear com perigo, à direita do goleiro do Olimpia.
Aos 31, Michel recebeu passe de Ronaldinho e chutou cruzado para fora. Dois minutos depois, Victor fez boa defesa na conclusão de Alejandro Silva.
Aos 37, Tardelli tabelou com Jô na entrada da área e finalizou por cima do gol, naquela que foi a última oportunidade da etapa inicial.
O segundo tempo começou quente e, logo no primeiro minuto, após cruzamento de Rosinei pela direita, Jô aproveitou a falha do zagueiro e mandou a bola para o fundo da rede: Galo 1 x 0.
Aos cinco minutos, Bernard cruzou pela direita e Tardelli chutou de primeira para a defesa de Martín Silva. Jô aproveitou o rebote e cabeceou com perigo para fora. No ataque seguinte, Jô recebeu passe de Rosinei, girou sobre o zagueiro e concluiu para a defesa do goleiro paraguaio.
O Galo pressionava e, aos 14 minutos, depois de cruzamento pela esquerda, Leonardo Silva cabeceou na trave. Aos 19, Júnior César invadiu a área pela esquerda e chutou para a defesa de Martin Silva.
Aos 33, Tardelli finalizou da entrada da área e a bola pegou na mão do jogador paraguaio, mas a arbitragem mandou seguir o lance. Logo depois, Ronaldinho chutou de fora da área, a bola desviou e Martín Silva se recuperou para fazer a defesa. No rebote, Tardelli mandou por cima do gol, mas o auxiliar já havia assinalado impedimento do atacante atleticano.
Aos 38, Ferreyra avançou com perigo, passou por Victor e acabou escorregando, não conseguindo concluir a jogada. No minuto seguinte, Manzur cometeu falta em Alecsandro e foi expulso após receber o segundo cartão amarelo.
Aos 41, depois de tanto cantar “Eu Acredito”, a Massa respirou aliviada. Bernard cruzou pela direita e Leonardo Silva subiu mais que a zaga do Olimpia para cabecear no canto e fazer Galo 2 x 0.
Aos 44, Jô foi derrubado na área, mas o árbitro nada marcou.
Prorrogação
Mais uma vez com o grito de “Eu acredito” ecoando no Mineirão, o Atlético foi para cima do Olimpia e, aos oito minutos, Bernard cobrou escanteio e Réver cabeceou no travessão.
Aos 12 minutos, Josué chutou de fora da área e Martín Silva fez grande defesa.
No segundo tempo, aos sete minutos, Jô recebeu a bola na área e chutou para a defesa do goleiro paraguaio. O Olimpia levou perigo na cobrança de falta de Pittoni, para fora.
Aos 14 minutos, Alecsandro teve grande oportunidade e tentou encobrir o goleiro, mas o zagueiro do Olimpia evitou o gol.
Pênaltis
Victor defendeu a primeira cobrança do Olimpia, feita por Miranda. Alecsandro converteu a cobrança e colocou o Galo em vantagem.
Ferreyra empatou para o time paraguaio e Guilherme recolocou o Atlético na frente: 2 x 1. Candía voltou a igualar o marcador, mas Jô devolveu a vantagem para o Alvinegro.
Aranda deixou tudo igual e Leonardo Silva marcou o 4º gol atleticano. A 5ª cobrança paraguaia foi de Giménez, que mandou a bola no travessão e fez explodir o grito de Campeão no Mineirão.
Galo, Campeão da Copa Libertadores da América de 2013.
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO x OLIMPIA
Motivo:
 Copa Libertadores da América – Final – 2º jogo
Data: 24/07/2013
Hora: 21:50
Estádio: Mineirão
Cidade: Belo Horizonte (MG)
Gols: Jô (46′), Leonardo Silva (86′)
Público pagante: 56.557
Renda: R$ 14.176.146,00
Árbitro: Wilmar Roldán (URU)
Auxiliares: Humberto Clavijo e Eduardo Ruiz
Cartões amarelos: Bernard, Luan (Atlético); Salgueiro, Martín Silva, Ferreyra, Giménez e Benítez (Olimpia)
Cartão vermelho: Manzur (Olimpia)
Atlético
Victor; Michel (Alecsandro), Réver, Leonardo Silva e Júnior César; Pierre (Rosinei), Josué, Diego Tardelli (Guilherme) e Ronaldinho; Bernard e Jô. Técnico: Cuca
Olimpia
Martín Silva; Manzur, Miranda e Candia; Alejandro Silva (Giménez), Mazacotte, Aranda, Pittoni e Benítez; Salgueiro (Baez) e Bareiro (Ferreyra). Técnico: Ever Hugo Almeida.

Comentários