Na Toca dos Jaguares!

Por Marcos Junglas
10/10/2013
Quase aposentados, os caças Mirage do Esquadrão Jaguar foram destaque nos Portões Abertos de Anápolis.
(Todas as fotos: Marcos Junglas)
Nos dias 05 e 06 de Outubro, a Base Aérea de Anápolis (BAAN) abriu seus portões para a sociedade brasileira. Com uma estrutura de apoio que englobou desde praça de alimentação até a exposição de veículos e produtos de artesanato, o evento contou com a visita estimada em mais de 50 mil pessoas. Ao longo do final de semana, foram feitos sorteios de voos panorâmicos a bordo de uma aeronave Grand Caravan orgânica da BAAN.
O começo de tudo: Mirage IIIE no esquema de pintura original dos Jaguares de Anápolis, armado com um míssil IR Matra R530 (acima), e os motores Snecma Atar 09C estocados a céu aberto (abaixo)
O atual ocupante da linha de voo da caça em Anápolis, o F-2000C, durante passagem baixa. Essas aeronaves darão baixa em janeiro de 2014, segundo declarações do comando da FAB.
O Northrop F-5EM deverá assumir as missões do GDA até a chegada do FX-2. Os rumores dão conta que um provável rodízio de aeronaves dos três esquadrões operadores de F-5EM será mantido durante essa fase de transição.
Decolagem de uma aeronave R-99B de sensoriamento remoto e inteligência de sinais (acima) e de um R-99A de alerta aéreo antecipado, comando e controle (abaixo): De longe os mais modernos aviões da FAB, esses aparelhos estão sendo submetidos a um extenso e custoso upgrade de meia vida, que os manterão voando por pelo menos mais 20 anos
Aeronaves civis, aeromodelos radio controlados, aeronaves militares e até um pequeno efetivo da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército Brasileiro estiveram presentes. A novidade do ano foi à presença do Grupamento Aéreo da Polícia Militar de Goiás (GRAER) o qual realizou diversas manobras policiais utilizando uma aeronave AW119 Koala codinome Falcão 02. Evacuação de áreas críticas, técnicas de rapel e penca, patrulhamento aéreo armado, dentre outras, puderam ser acompanhadas pelo público bem de perto. A aviação civil esteve presente principalmente com aviões de pequeno porte utilizados para instrução de novos pilotos ou aeronaves particulares dos modelos Cirrus e os experimentais RV-10.
 
A Brigada de Infantaria Paraquedista esteve presente e saltou sobre a Base Aérea de Anápolis utilizando as aeronaves C-105 Amazonas do Esquadrão Onça de Campo Grande, proporcionando um espetáculo para o público presente
Outro representante da Aviação de Transporte da FAB, o C-98 Grand Caravan, decolando durante o evento.
A Força Aérea levou a Anápolis uma frota representativa das aviações militares que opera. Três A-29 Super Tucano do Esquadrão Grifo pousaram no final do domingo retornando de missão. Nas asas rotativas, um helicóptero Super Puma deu o ar da graça no domingo de manhã, retornando ao Rio de Janeiro no final da tarde. O patrulheiro P-3, com toda sua robustez, dividiu espaço com o C-105 Amazonas utilizado no lançamento dos paraquedistas do Exército ao longo do domingo. Representando a caça, um F-5EM chegou ao evento no final da manhã de domingo de forma modesta, pousando sem ao menos efetuar uma passagem baixa sobre o evento.
O Embraer A-29 Super Tucano, um sucesso de exportações e espinha dorsal da aviação de treinamento avançado da Força Aérea Brasileira (acima e abaixo) também esteve presente em Anápolis
Um H-34 Super Puma dos Afonsos (3º/8º GAVmarcando presença na festa (acima) enquanto o veterano patrulha P-3AM deixava bem claro seu tamanho e presença imponente no pátio da BAAN (abaixo)
Com suas atividades suspensas devido à incorporação de uma nova aeronave, a Esquadrilha da Fumaça foi representada por um Super Tucano A-29B ostentando as novas cores. Sem o marcante show do EDA, ficou por conta da Esquadrilha Textor realizar apresentações aéreas com três aeronaves civis, se destacando entre elas, o altamente manobrável e de desenho futurístico Cozy.
O desenho futurista do Cozy (acima) da Esquadrilha Textor (abaixo) nos céus do Planalto Central
Em casa, as aeronaves R-99A e R-99B, pertencentes ao Esquadrão Guardião, executaram toques e arremetidas.  E quando o silêncio ameaçava chegar, as tubeiras dos caças Mirage F-2000 provavam que a Toca dos Jaguares tem um ruído inconfundível. Com diversas passagens ao longo do final de semana, os Mirage pareciam agradecer o carinho com que foram tratados pelos tripulantes da FAB e sua equipe de apoio, despedindo-se daqueles que um dia puderam ver o ronco de seus motores e o delta de suas asas voando sobre nosso país. 
Fly Line de Deltas dos Jaguares em Anápolis
O belo design do Mirage 2000C monoplace fica evidente nesta vista lateral em solo (acima) ou na estonteante passagem baixa com vapores de condensação criando trilhas nas pontas de asas (abaixo)
Um biplace F-2000D em voo. Exceto pela falta dos canhões DEFA de 30 mm e pelo fato de transportarem menos combustível, esses aviões apresentam a mesma capacidade de combate dos monoplaces F-2000C. Na foto abaixo, um espetacular registro de uma decolagem full afterburner, queimando o asfalto da pista, de um Mirage 2000D dos Jaguares!
 
A equipe do GRAER, valendo-se de um helicóptero AW119 Koala codinome Falcão 02, demonstrou perícia, arrojo e excelente condicionamento físico durante suas apresentações na Base Aérea de Anápolis, provando tratar-se de uma unidade de aviação de segurança pública de elite, altamente treinada (acima e abaixo)
O acrobático RV-10 "PT-ZKR" (acima) e os clássicos Cirrus SR-22 GTS "PR-TEU" e Cessna Skywagon "PR-FES" (abaixo)
 
Representando os aeromodelos rádio controlados, duas vertentes muito difundidas na atualidade: os jatos R/C como este belíssimo F-4F Phantom II com pintura comemorativa dos 76 anos da Aviação Naval da US Navy (acima), e o acrobático Extra 260 QB da Aeroworks, muito popular entre os aeros a hélice (abaixo)

Comentários