TAM estima crescimento de 8% a 11% na demanda por voos domésticos em 2012

 

 


 
 
 
Empresa direciona esforços para aumentar a taxa de ocupação de seus voos e melhorar a rentabilidade e a eficiência das operações

 
 
 
São Paulo, 31 de janeiro de 2012 – A TAM Linhas Aéreas estima um crescimento entre 8% e 11% na demanda por voos domésticos no mercado brasileiro em 2012. O segmento de aviação comercial continuará aquecido neste ano, em linha com a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e a entrada de novos passageiros, que continuarão migrando para o modal aéreo.

“Acreditamos em um mercado forte e crescente em 2012. Vamos direcionar nossos esforços para aumentar a rentabilidade da nossa companhia, continuando o movimento de recuperação de yield (preço unitário pago por passageiro por quilômetro voado) iniciado no segundo semestre do ano passado. Vamos manter um rígido controle de custos, evitando excesso de capacidade, e ampliar receitas, com maior ocupação de nossas aeronaves”, comenta Líbano Barroso, presidente da TAM Linhas Aéreas.

A TAM não prevê a abertura de novas rotas em 2012, porém trabalhará para consolidar e incrementar a produtividade dos voos já existentes e para aumentar frequências para alguns destinos internacionais. A previsão é encerrar o ano com um load factor entre 72% e 74% no segmento doméstico e entre 83% e 85% no internacional. Vale lembrar que, em 2011, a TAM registrou a melhor taxa de ocupação de sua história nas rotas para o exterior, de 81,4%.

As viagens de e para o Brasil seguirão aquecidas neste ano, principalmente motivadas pelo bom momento do País na economia global. No mercado doméstico, continuará o movimento de expansão do número de passageiros iniciado há alguns anos. Para capturar essa demanda, a empresa segue investindo em seu projeto de atender todos os segmentos do mercado, com destaque para o varejo.

O crescimento da oferta de assentos da companhia em 2012 deverá ser entre zero e 2% nos voos dentro do País e entre 1% e 3% nas rotas para o exterior. A TAM realizou uma nova revisão em seu plano de frota, além da comunicada em agosto de 2011. A companhia encerrará o ano com 157 aeronaves, ao invés de 159. A empresa reduzirá sua frota doméstica em sete aviões narrow body (de apenas um corredor de circulação), e não apenas quatro, como anunciado no ano passado.

Em agosto de 2011, a TAM mudou seu plano de frota narrow body para 2012 de um aumento de quatro aeronaves para a manutenção do mesmo número de 2011 (127 aviões). Agora, a companhia fará uma redução de mais três aeronaves, encerrando o ano com uma frota doméstica de 124 aviões. Mesmo assim, a frota doméstica será renovada em 10% com a chegada de 13 novos Airbus da família A320, mantendo a baixa idade média das aeronaves.

Para atender o segmento internacional, a companhia receberá quatro Boeing 777 e continuará com um Airbus A330 que seria devolvido em 2012. Oportunamente, a TAM anunciará as rotas em que essas aeronaves irão operar. Vale ressaltar que não serão novos destinos, mas sim incremento de frequências nas rotas já existentes.

O acompanhamento das estimativas para 2012 será realizado periodicamente e, em caso de alterações significativas em condições de mercado, macroeconômicas ou internas, serão efetuadas e comunicadas ao mercado revisões nos indicadores projetados.

Guidances 2012:


Plano de frota:

 
Ressalva sobre informações futuras:

Esse comunicado contém previsões de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da companhia, e envolvem riscos ou incertezas previstos ou não. A companhia não se responsabiliza por operações ou decisões de investimento tomadas com base nas informações aqui contidas. Estas previsões estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio.

Comentários